09 June 2011

Lojas de Caridade :: Charity Shops


Falo muito em lojas de caridade e já várias pessoas me pediram para escrever sobre o assunto. As lojas de caridade que frequento aqui em Inglaterra são espaços comerciais geridos por uma instituição de caridade (há dúzias e dúzias de obras de caridade diferentes), que vendem produtos em segunda mão e onde trabalham voluntários. São lojas em ruas normais (não pensem que se localizam em becos escondidos), onde se encontra tudo desde roupa, sapatos, livros, loiças, brinquedos, tecidos... tudo a preços baratíssimos. Algumas lojas tambem vendem móveis e outras são especializadas num só produto (as minhas preferidas são as livrarias). Vivem de doações, usufruem de muitos benefícios fiscais e todo o lucro vai para a obra de caridade a que a loja pertence. A meu ver, são instituições extraordinárias porque todas as entidades envolvidas ganham com elas. O cidadão comum tem um sítio onde deixar aquilo que já não quer ou de que já não precisa, em vez de deitar tudo para o lixo; os clientes das lojas de caridade têm acesso a uma panóplia enorme de coisas, desde roupa da estação passada até loiça com mais de 50 anos, passando por livros, discos, etc.; as obras de caridade têm rendimentos alternativos às doações em dinheiro (mais informações aqui).

I keep mentioning charity shops and several people have asked me to write about them. The charity shops I frequent here in England are retail outlets run by parent charities (there are dozens and dozens of them) that sell second-hand goods and that are staffed by volunteers. Most of them are located in the high street and there you'll find things like clothes, shoes, books, crockery, toys, fabrics... all sold very cheaply. Some shops also sell furniture and others are specialised in particular products (my favourite ones are charity bookshops). Almost all stock is donated, they get various tax concessions and the profit goes to the parent charity. As far as I'm concerned, they are quite extraordinary because everyone involved wins something. The average person has a place to leave their unwanted things instead of throwing them away; the customers have access to a myriad of things like last season's clothes, 50-year-old crockery, books, music, etc.; charities have an alternative revenue stream to money donations (more information here).


Como é óbvio, estas lojas estão repletas de tralha. Mas, se uma pessoa for atenta e persistente, consegue lá descobrir muitos tesouros. Tudo depende da paciência e dos interesses de cada um. Eu, por exemplo, quando entro nestas lojas vou directa aos livros, depois espreito as loiças e a roupa de corpo e de casa (sempre em busca de tecidos bons). Por vezes é entrada por saída, mas em certas dias posso passar horas a folhear livros (sempre arrumados por temas). Tudo o que aparece na imagem aqui em cima veio de lojas de caridade, incluindo a mesa, e é uma boa amostra daquilo que me interessa. Há quem goste de comprar roupa, chávenas de chá, puzzles, chapéus...

Of course these shops are full of junk. But there are also treasures to be found, provided that you are attentive and persistent. It all depends of one's patience and interests. Take me, for example: when I enter these shops I go straight to the bookshelves, then I take a look at the bric-à-brac section and I browse the clothes and household rails (always in search of good fabrics). Sometimes it only takes me two minutes but on certain days I can spend hours looking at books (always sorted out by themes). Everything in the picture above has come from charity shops, table included, and is a good sample of which things interest me. Some people enjoy buying clothes, teacups, puzzles, hats...


E como quero que tirem algum proveito destas minhas incursões, comprei um livro para sortear. O título é The Real Book of Making Dolls and Dolls' Clothes e foi publicado em 1959. O sorteio estará aberto até domingo; para participar, basta deixar um comentário a este post.

And because I want you to benefit from my excursions, I bought this book to give away. The title is 'The Real Book of Making Dolls and Dolls' Clothes' and it was published in 1959. To enter the giveaway just leave a comment below; I'll draw a winner next Sunday.

(photos: Constança Cabral)

116 comments:

  1. Gostei bastante do post, é sempre bom falar/apoiar estas iniciativas!

    beijinhos,

    Sílvia

    ReplyDelete
  2. O livro é o máximo, adoro a capa.

    E aqui a Oxfam é cara, inclui-se na categoria "comércio justo".

    ReplyDelete
  3. É pena em portugal não haver iniciativas assim!!!
    Gosto muito do teu blog e já sou seguidora!
    Beijinhos

    ReplyDelete
  4. Que bom seria se existissem em Portugal!

    ReplyDelete
  5. Que lindo livro! Estou certa de que qualquer uma das minhas 3 meninas ficará encantada por desfolha-lo!

    Obrigada por esta ideia tão generosa.
    Bjs
    Maria Antonia Forjaz

    ReplyDelete
  6. Super interessante este temo. Lamento esta iniciativa não ser implementada em Portugal. A única associação que sei que por cá faz algo do género é a Remar. Muito obrigada. Bejos

    ReplyDelete
  7. Oh, que giro! E agora que eu ando toda entusiasmada com a minha máquina de costura...até já fiz uma mini-saia para as minhas mini-gajas, e tudo!

    Beijinho!

    ReplyDelete
  8. Vivi 3 anos em Inglaterra e era cliente assídua das charities. Comprei de tudo, desde roupa e sapatos a pequenos móveis, livros e os mais diversos objectos. E grande parte das coisas tenho até hoje e continuo a usar.
    Agora, em Portugal, trabalho como voluntária numa loja de caridade mas com um conceito adaptado - os objectos não são doados à loja, mas sim colocados à consignação. Se forem vendidos, a loja fica com 30% da venda. Bem diferente!
    Sempre que volto a Inglaterra com tempo, não dispenso uma espreitadela às minhas charities favoritas.

    ReplyDelete
  9. Já conhecia estas lojas de ouvir falar e quando estive em Londres ainda visitei algumas...
    Mesmo aqui em Portugal já comprei uns bons livros desde culinária, cozinha, tricot... a preços bem económicos e em muito bom estado.

    O livro vinha mesmo a calhar, a minha filhota anda sempre às voltas com roupinhas para as bonecas...

    Beijinhos
    Carla

    ReplyDelete
  10. Olá Constança,

    Visitei também algumas em Manchester e é pena que por aqui não se ajude quem mais precisa com essas iniciativas, claro que era logo voluntária:)
    Costumo ir à Remar ver as novidades, e já encontrei coisas boas que estão na minha lista de remodelações! Beijinhos

    ReplyDelete
  11. Obrigada pelo ost e pela oportunidade de ganhar um livro tão interessante. Adoro bonecas e tudo o que as envolve!
    Tenho pena que aqui em Portugal não seja comum este tipo de lojas...
    obrigada!
    marlene

    ReplyDelete
  12. Este post é bastante interessante. O que para uns é "tralha", para outros é "tesouro".
    Todos ganham, os que vendem e os que compram. E ainda se recicla e se dá novo uso às coisas.
    É pena que em Portugal, ainda não se tenha aderido a essas lojas.

    Bjs
    Alexandra

    ReplyDelete
  13. I used to live in Ireland and I loved charity shops too.
    Vintage pottery is what I usually buy in those shops.
    That book looks fantastic, thanks for organizing this giveaway!

    ReplyDelete
  14. Constança!
    O teu blogue está cada vez melhor!
    À medida que vais navegando por novos campos e sabores, deixas-me com enorme vontade de experimentar outras áreas e enveredar mais a sério por este mundo criativo que nos mostras!
    Agora que pela primeira vez tive encomendas de trabalhos feitos por mim, tenho mesmo que pensar numa "marca" e eventualmente, lançar-me também na bogosfera!
    O teu livro vinha mesmo a calhar, neste momento, quem sabe, de viragem!
    Continua!
    Beijinhos
    Inês

    ReplyDelete
  15. Um post maravilhoso como sempre e o livro deve ser fantastico:)
    Já vão tentando criar lojas dessas por aqui mas nada que tenha essa quantidade de coisas, para mim que adoro coisas antigas seria o paraiso:)

    Beijinhos

    Ana

    ReplyDelete
  16. Gostava que houvesse cá lojas dessas; obrigada pelo sorteio, gosto de fazer bonecos e adorava ter esse livro.
    ap_lemos at yahoo dot com

    ReplyDelete
  17. Olá!
    Por cá já existem algumas lojas, mas não vejo por lá as "bagatelas", tenho ideia que os preços são sempre exagerados... enfim, qualquer dia.
    Gosto muito do seu blog, que visito todos os dias.
    Também gostava de ganhar o livro porque fiz recentemente uma boneca para a minha filhota e gostava de fazer mais.
    Sara

    ReplyDelete
  18. por cá também podia haver mais iniciativas assim. em sintra há uma que pertence a uma associação de defesa dos animais ( com tralha, apenas) e outra da Remar, com preços escandalosos...

    ReplyDelete
  19. Bom dia! Aqui ao invés de lojas, temos bazares, de tempos em tempos.A casa religiosa que frequento faz uns 4 por ano, e com a arrecadação mantemos um lar para meninas carentes.
    Nos bazares encontra-se de tudo que for possível conceber e até o impossível.Eu sou frequentadora assídua.De lá trago preciosidades para minha casa e para presentear os familiares.

    ReplyDelete
  20. Olá Constança!Adorei este post, é bastante elucidativo. Tenho pena que cá em Portugal não existam as lojas de caridade (pelo menos eu não conheço;(
    Sempre dou as minhas roupas à igreja ou aos mais necessitados..mas o que fazer com toda aquela tralha que já não usamos..

    beijinho

    ReplyDelete
  21. Por aqui temos os brechós, onde, geralmente, os objetos são deixados em consignação.
    Eu sou frequentadora assídua de um deles em minha cidade, o "Elefante Branco", onde muitas das vezes vou só para olhar, mas acabo não resistindo e trazendo alguma coisinha.
    É uma oportunidade ótima para adquirir coisas legais por um bom preço.
    Bjs.
    Myrian Lavourinha

    ReplyDelete
  22. Ai que pena que cá ainda não exista esse conceito.
    O pouco que existe por vezes é mal visto...
    Não sei porquê...

    ReplyDelete
  23. Olá Constança,
    É pena que por cá esse tipo de iniciativas não "peguem" como aí! Estamos mm atrasados! Porque será? Teremos nós pudor em utilizar objectos em 2ª mão? Teremos nós dificuldade em nos desfazermos daquilo q já não fazemos uso, porque um dia poderemos necessitar? Eu sou totalmente apologista deste tipo de coisas, ainda mais se for para ajudar quem mais precisa...temos mesmo de sair da "bolha".
    Fiquei muito feliz pela sua ideia de partilha.
    Obrigada pelos "posts", são todos muito inspiradores.
    Beijinhos

    ReplyDelete
  24. Olá Constança

    Para mim o importante do post é perceber, que estas instituições mais do que se limitarem a pedir dinheiro, criam valor, e isto sim é importante.Vão construindo o seu modelo de apoio financeiro.Assim torna-se f+acil contribuirmos para as boas causas. Acreditamos!!!

    Carmo

    ReplyDelete
  25. Aqui estou eu a tentar a minha sorte. O livro deve ser girissimo.
    Cláudia

    ReplyDelete
  26. Já encontrei na Remar uns lençóis com rendas, paninhos bordados que nínguém quis e também umas cabeceiras de cama dos anos 40, bem bonitas.Pedaços de vidas felizes, deixados ao desbarato!Sorte a minha que os comprei.
    O livro tem uma capa interessante.
    Ana Bela

    ReplyDelete
  27. Em Portugal não existe nem um terço da mesma oferta, mas se procurarmos bem também se encontram coisas bonitas!

    Sou fã deste blog! =)

    Muitos beijinhos, Constança!

    ReplyDelete
  28. ola concha. Por aqui não temos nada disso. A caridade é feito dentro de casa passando as nossas coisas ao motorista, empregada ou segurança. As roupinhas da Tilly, as minhas, alguns electrodomésticos têm sempre dono que os vão mimar tão ou mais do que nós. Adorava receber esse livro e porquê? Porque estamos em Angola (na provicia) e é dificilimo arranjar brinquedos para a Matilde. Com este livrinho poderia aventurar-me a fazer crescer a imaginação dela. Obrigado e parabens pela iniciativa

    ReplyDelete
  29. That was a fun post to read and see!
    I would love that book because my mother-in-law gave me two antique dolls that need new wardrobes and I have not made doll clothes since I was playing with them and then didn't do so well!

    ReplyDelete
  30. Aqui em Lisboa já há algumas lojas desse tipo (Remar, Reto à Esperança, Emaús - Sintra), o problema é que normalmente são pouco arrumadas e às vezes com um aspecto um pouco sujo - talvez parte da dificuldade seja também o que as pessoas "despejam" para lá....
    É preciso tempo e paciência para encontrar alguma coisa, não se deve ir à procura de uma coisa específica.

    ReplyDelete
  31. Ém um conceito interessante,não conheço nenhuma no Norte, se calhar existe...

    :))

    ReplyDelete
  32. Gosto de livros antigos!
    Também me quero habilitar...
    :)

    Dilma Garrido

    ReplyDelete
  33. Aqui em Portugal as pessoas ainda torcem o nariz quando lhes digo: Gostas deste lenço?, Pois bem comprei-o na feira da ladra por 1€! Cá em casa temos mobília que encontramos na rua e muitos dos papeis e livros que utilizo para desenhos e ilustrações vieram do lixo! Quero eu dizer que as "lojas de segunda mão", pelo menos cá em Lisboa, alternam-se entre a rua e a feira da ladra. Visitei uma outra loja de roupa em segunda mão, mas por ser rotulada como "vintage" é mais cara que a roupa nova. Sempre quis abrir uma loja em segunda mão onde se pudesse encontrar um pouco de tudo! obrigada pelo teu post, faz-me sentir menos maluquinha!

    ReplyDelete
  34. Quero participar!
    Aqui no Brasil, onde moro, não conheço nenhuma destas lojas. Mas parecem muito interessantes...

    Abraços, Iris

    ReplyDelete
  35. great post :o)
    I love charity shops too, my latest treasure was 13 meters of new textured cream fabric for £6.99!
    The giveaway book looks delightful, thank you for the chance
    j x

    ReplyDelete
  36. Que livro lindo, Constança! Gostaria de participar! Adorei saber mais sobre as lojas de caridade. Imagino a quantidade de tecidos lindos que se pode aproveitar
    Beijos
    Helena

    ReplyDelete
  37. quem me dera ter essa visão das lojas de caridade.... as duas únicas vezes que tive contacto com as mesmas foram muito decepcionantes. uma delas vendia coisas que deveriam estar em sucatas, a outra pedia fortunas por objectos como se de antiguidades se tratasse.
    .... mas um um livro é sempre um livro, e mesmo que não faça tenções de costurar roupas para bonecas, esse, com essas décadas, deve ter umas ilustrações interessantes :))
    bjs

    ana bela alves

    ReplyDelete
  38. Certa vez na paróquia da região onde morava recusaram-se aceitar roupa e sapatos em segunda mão, por terem em excesso!
    Muitas das vezes, as nossas tralhas a mais, não têm lugar ou ninguém que as queira ou aceite... é de louvar existirem lojas, como essas.

    ReplyDelete
  39. Um livro de roupas para bonecas é sempre uma boa opção, quando existem 3 meninas com idade para bonecas, na familia. Bjs.

    ReplyDelete
  40. Olá Concha,
    Apenas tenho experiência em lojas de livros em 2ª/3ª/... mão, mas peretencentes a particulares. Apesar de agora viver em Lisboa, cresci no alentejo e era habitual a igreja organizar carmesses para recolha de fundos, muita tralha mas tudo organizado e com bom aspecto. Não contem a ninguém, mas era onde a minha mãe deixava as chavenas que todos os anos no Natal insistiam em oferecer-lhe! Será que ainda se fazem carmesses!?

    ReplyDelete
  41. Em primeiro lugar,Parabéns pelo blog...É o máximo! Por Tudo!
    Pelas Dicas, pelas Imagens, pela Partilha!!!!!
    Em relação ás lojas...é um BOM exemplo a seguir.Tenho pena de não as conhecer.
    Quanto ao livro, claro, sou, espero, uma potencial candidata :)

    ReplyDelete
  42. Aqui no Porto existe uma lojinha dessas, Emaus, vou lá com alguma frequencia, o meu filho (6 anos) a ultima vez que foi lá, delirou:trouxe 20 bonecos a 1€, com o compromisso de ir lá deixar alguns dos dele com os quais já não brinque.Como adoro livros, espero ser a feliz contemplada.
    Bjs
    Fernanda

    ReplyDelete
  43. O livro parece bastante interessante, quem sabe não vem cá para casa!
    bjs
    Patrícia S.

    ReplyDelete
  44. Abaixo as Barbies, vivam as bonecas de trapos!

    ReplyDelete
  45. Adorei a idéia pena que aqui em Brasília as lojas deste tipo não tem muitas coisas legais e livros eu nunca vi, são chamados de bazar e normalmente são em igrejas.
    Eu quero muito este prêmio, já estou na torcida.
    Beijos
    Kátima

    ReplyDelete
  46. Conheci algumas dessas lojas quando visitei a Escócia e adquiri alguns livros. É uma iniciativa louvável.

    ReplyDelete
  47. Adoro essas lojas! A minha sogra faz voluntariado numa e é sempre bom lá ir visitar! Em portugal no "meu tempo" era porcaria vistir roupas usadas de estranhos, mas agora com a nova geracão mais consciente do ambiente e mais relaxada é uma excelente iniciativa. A Inglaterra tem toda a história do pós-guerra que deu azo a todo esse charity. Ainda bem que Portugal não entrou nas grandes guerras, mas a necessidade de beneficência é sempre necessária! Um post muito interessante e que sabe vá despertar um espirito empreendedor em Portugal! Que comentário tão comprido! Esse livro deve ser muito giro e se calhar os modelos podem adaptar-se a tamanho adulto! ;-)

    ReplyDelete
  48. A mana mais pequena comemora sete anos na próxima semana. Eu não tenho grandes conhecimentos de costura, confesso, mas ando a dar os meus primeiros passos nesta arte. O objectivo é apenas um: criar peças bonitas e felizes para as pessoas fantásticas que me rodeiam. Quem sabe não ofereço uma boneca made by me à manita?! :)
    BJ

    ReplyDelete
  49. Uma pena não existirem lojas desse tipo por cá.

    Obrigada pela oportunidade de poder ganhar esse prémio :)

    ReplyDelete
  50. Interessante você abordar este tema esta semana. Estou em busca de algum lugar aonde possa levar um microondas que não uso mais, apesar de estar em bom estado, não há espaço pra ele na cozinha; e ao mesmo tempo, onde encontrar algum móvel que sirva de rouparia. Mudei-me de uma grande casa no interior, para um pequeno apto na capital e precisei "desapegar-me" de muita coisa e rearranjar o que sobrou em armários,que no apto não os há!
    Que bom seria que aqui no Brasil também houvessem lojas de caridade permanentes,como na Inglaterra. Afinal, sempre podemos repartir com quem não tem e precisa. Bom fim de semana a você, Constança.

    ReplyDelete
  51. Na minha cidade estas lojas aparecem por altura do Natal. Mas são poucos os que aderem. É pena...

    ReplyDelete
  52. É a primeira vez que comento no teu blog mas, confesso que, já o consulto há algum tempo e quase diariamente.
    Descobri o teu blog, por acaso, numa revista e identifiquei-me imediatamente contigo. Certos gostos, certas maneiras de ver as coisas que julgava serem só "manias" minhas.
    Só mais tarde percebi que já te conhecia, de uma viagem que fizemos ao Brasil à cerca de 11 anos!! Mas já te via como uma espécie de celebridade e não tive coragem de te dizer nada!;)
    Este post foi o empurrão que precisava, pois a vontade de ter este livro é MUITA!!!!
    Espero um dia podermos falar melhor e recordar a nossa viagem!
    Desejo-te as maiores felicidades e muito muito sucesso.

    Beijinhos,
    Margarida

    ReplyDelete
  53. It sounds just like the second hand stores in Sweden, with a difference that the hype for buying second hand is growing enormously in Sweden which the stores of course are quick to take advantage of. Therefore its not all that cheep any more in some stores. But I still visit them every week, severel different ones. Always on the hunt for nice books from the fifties and of course, lovely fabrics! :-)
    This book truly sounds like something for me, the fifties book nerd/sewing maniac!
    Ans since you are the reason I started sewing again after years of not doing it I really am happy you continue blogging. Your blog posts brightens my day!
    /Linda

    ReplyDelete
  54. Olá,

    Impressiona-me a dignidade dos espaços onde se dá nova oportunidade a objectivos. Deitar fora ou amontoar num espaço desarrumado (e envergonhado até) é uma forma pouco nobre de tratar o que já nos acompanhou nas nossas casas e vidas.

    Amélia

    ReplyDelete
  55. Por aqui é que podia haver assim umas lojas.
    Adoro saber como se vive aí através do teu blog!
    Bjocas

    ReplyDelete
  56. Ui...tanto post :)
    Como sabes aqui em Portugal não há lojas dessas mas há o equivalente que são as feiras de antiguidades! Adoro-as e frequento-as sempre que posso...

    beijinhos

    ReplyDelete
  57. Oh, you are right! I realized now that I have no info about my e-mail adress on my blog. But it should be there, I have just forgotten to fix that for such a long time now. But now it´s finally there, thank you for making me aware! :-)

    ReplyDelete
  58. Olá!
    O vosso blog é sempre muito interessante pela variedade de conteúdos. E aqui está mais um. É pena que existam muito poucas lojas destas e ainda algum preconceito ou vergonha por parte das pessoas em comprar coisas usadas.
    Que venham muitos anos para festejar. E já agora se o livro vier também seria óptimo.
    Fernanda

    ReplyDelete
  59. A falta que me faz um comercio assim por aqui. Seria tão útil quando até por que adoro coisas com história.
    BJS

    ReplyDelete
  60. Adoro o teu blog!!
    Gostava que houvesse iniciativas dessas por cá...
    Candidato-me a este livro para poder dar a uma senhora com S maíusculo. Pinta, faz bonecas de pano e muito mais. Procura tudo que tenha modelitos para vestir as bonecas. E estes trabalhos revertem para uma instituição de autistas. Tem ou não tem um coração GRANDE !?
    Bem hajas Constança pelo teu blog!!

    ReplyDelete
  61. Gostava que houvesse lojas de caridade em Lisboa! Será que há e eu não conheço?!

    ReplyDelete
  62. Por engano não me identifiquei no comentario anterior.
    Sheila

    ReplyDelete
  63. Ainda vou a tempo? Bem, tb adorei o conceito que não conhecia nestes parâmetros tão organizados! Fui logo ver o site e investigar! Embora não estando em Portugal, apetece-me imenso ver se seria possível montar 1 coisa do estilo. Vou investigar. Coisa a longo prazo obvio! Mas cm sempre estive mt ligada a causas sociais, voluntariado etc, é um tema que me toca ao coração!
    E já agora, tenho 1 afilhada q ia adorar vestidos para as bonecas!
    Beijinhos e obrigada pela inspiração diária!
    (o número de comentários dá para perceber a quantidade de fãs q tem!)
    Teresa Alvim

    ReplyDelete
  64. Mais um apontamento sobre lojas de caridade, aqui no Porto, e arredores, tal como em Lisboa, existem as lojas da Remar, Emaús, Reto à Esperança, mas também do Coração da Cidade e outras, não tão conhecidas. O problema, pelo menos ao olhar para as fotos que a Constança postou, é que as nossas não têm nem a organização das coisas a vender, nem muitas vezes formas de atrair potenciais compradores... A maior parte parece que larga tudo de qualquer maneira... É pena, poderiam ganhar mais em todos os sentidos.

    Um beijinho
    Ana

    ReplyDelete
  65. Obrigada pelo blog. Adoro, adoro Adoro.

    :)
    Sofia Alves

    ReplyDelete
  66. Obrigada pelo blog:) Adoro, adoro, adoro.

    Sofia Alves

    ReplyDelete
  67. Olá Constança!!!!
    Adoro o seu blog,as imagens,a forma como escreve,o talento que,para além de fazer coisas tão bonitas também consegue transmitir esse prazer através do blog!!!Fico encantada sempre que fala em lojas de caridade,e como encontra sempre preciosos tesouros,pena que Portugal não tem esse tipo de iniciativas.
    Obrigado por partilhar connosco o seu dia a dia,é um prazer visitá-la.Um beijinho!!!!!

    ReplyDelete
  68. Eu só gostava que existissem lojas iguais por aqui ;)

    ReplyDelete
  69. Olà, gosto imenso do teu site! Jà escrevi um comment sobre tua saborosa focaccia. Sou italo-portuguesa e moro em Génova (peço desculpa por meu Portugues...). Nao quero participar ao sorteio do lindo livro, mas sugerir um simpatico video no YOUTUBE sobre 25 maneiras de usar cachecol "25 Ways to Wear a Scarf in 4.5 Minutes!". Um abraço Manù

    ReplyDelete
  70. Já tive o prazer de visitar algumas dessas lojas. Adorei!

    ReplyDelete
  71. Sou fã dessas casas cheias de "tesouros". Contam muitas histórias do passado mas nos revelam ao mesmo tempo muitas informações úteis para o presente e futuro. Costumo comprar livros, mas como deve imaginar, em Portugal há pouca oferta desse tipo. No Brasil, as "casas do Sebo" seguem a mesma linha e é possível também encontrar maravilhas, mas também coisas atuais, mas tudo usado :) Quando lá vou faço "a festa" e trago muitas coisinhas para a minha casa.
    Quanto aos tecidos, como a oferta também não me cativa por aqui, fiz uso de roupas antigas de família para criar coisas novas. As roupas de antigamente tinham muita qualidade e investia-se em bons tecidos.
    Pessoal que publicou neste post, por que não organizarmos nós uma feirinha de tralhas de outrora? Acho que temos aqui pesssoas que cheguem para muito sucesso :) Um abraço a todos! Thais

    ReplyDelete
  72. olá!! gostei muito do post,era importante que em Portugal se tomassem iniciativas destas, um dia que vá a Inglaterra vou procurar,
    beijinhos
    mina

    ReplyDelete
  73. Essas lojas são realmente uma excelente alternativa ao contentor do lixo, às vezes faz doer a alma ver as coisas que deitam fora. Gostava que em Portugal esse exemplo fosse seguido mais frequentemente. A única loja que conheço do género localiza-se em Santarém, numa capela e pertence a uma paróquia. Claro que não tem a variedade de objectos das de Inglaterra.

    ReplyDelete
  74. The book immediately takes me back to the early 1960s when my mother made an entire wardrobe by hand for my doll, including a green coat lined in red with a little fur-trimmed hood. She used to sew at night after I'd gone to bed and the new doll's clothes were my Christmas present. I wonder if she used this book?

    ReplyDelete
  75. A ideia das lojas de caridade é excelente, permite reciclar e ao mesmo tempo ajudar quem precisa. Em Lisboa ouvi dizer que há uma em Campo de Ourique mas nunca lá fui.

    ReplyDelete
  76. Também eu adoro estas lojas de caridade e felizmente tenho duas na pequena vila onde vivo. Sou visitante assídua e já lá tenho comprado muita coisa a preços muito acessíveis. Um dos livros que comprei numa loja de caridade e que adoro é o Country Diary of an Edwardian Lady que vejo aí na foto, gosto também muito dos antigos livros da Penguin de capa laranja. Onde vivia em Portugal houve alguém que há uns tempos tentou fazer alguma do género mas a coisa não foi para a frente, são mentalidades diferentes e às vezes é pena.

    ReplyDelete
  77. o mundo precisa de pessoas sensíveis como você. sempre que leio ou "degusto" as fotos penso o quanto valoriza os pequenos prazeres da vida, sem esquecer do próximo, sempre partilhando informações e ideias. És generosa. Salve !

    Sou brasileira e moro em Lisboa.

    Se der espreita meu blog, em especial essa sessão:
    i http://estectorama.com/tag/cheztoi

    Beijinhos
    Manoella

    ReplyDelete
  78. Olá Constança,

    Por cá, na minha rua, abriu há pouco tempo uma loja desse género, aceitam roupas, brinquedos e artigos de bebé. Não sei como funciona na aquisição dos bens mas penso que terão um preço simbólico.

    Beijinhos,
    Carla

    ReplyDelete
  79. Obrigada Constança por mais esta partilha! Já muito foi escrito aqui e faço de muitos as minhas palavras. O que falta por cá é coragem, iniciativa e carinho, é de facto uma grande pena não haver lojas com este mesmo intuito. Bom fim de semana.

    ReplyDelete
  80. such a great post!
    love it!

    A big hug,
    elena

    ReplyDelete
  81. I adore your blog and this post was fascinating. We call them 'thrift shops' here in Vermont. My husband and I love to peek around each and every nook and corner. I was reading him your post this morning about the 'charity shops' in London. We visited London only once but we loved it so. If we can make it back, your list of shops will be sought out by us for certain.

    Thank you so, Mary Ann in Vermont

    ReplyDelete
  82. Esse é que era um conceito a importar!

    ReplyDelete
  83. à espera de que essa moda/ conceito comece a existir por cá...
    Adorei as dicas da publicação anterior!

    ReplyDelete
  84. Cá em Portugal existem várias lojas deste género, mas no geral pouco apelativas, quer pela falta de cuidado e limpeza, quer pelos preços, que muitas vezes são elevados.
    Adoro o conceito, sempre que encontro uma, entro!
    Mas por aqui o grande problema é (como em tantas outras coisas...), a mentalidade das pessoas. Continua a ser muito mal visto comprar ou usar coisas em segunda mão. E parece que quanto mais modestas são as pessoas, mais problemas têm... Vejo pessoas que não podem a gastar fortunas em roupas de marca para os filhos, mas eu e as minhas amigas usamos e aproveitamos tudo o que podemos. O meu filho de 14 anos continua a vestir roupa oferecida e emprestada, que eu passarei a alguém quando o mais novo já não a usar... E antes de casar já tinha comprado em 2ª mão carrinho de bébé, alcofa, berço, tudo o que encontrei... No entanto tenho amigas que trabalham em lares (na Amadora)ou associações de voluntariado (em Cascais), com um enorme problema: salas cheias de roupa para pessoas mais velhas, que ninguém quer, porque não sabem de quem é que a roupa era...
    Enfim...

    ReplyDelete
  85. É ds coisas que mais tenho saudades das minhas idas a Londres...visitar e descobrir preciosidades nesse tipo de lojas!
    Pena é que a nossa cultura portuguesa não "aceite" tão bem esse conceito.
    Beijinhos.... e obrigada por partilhar :)

    ReplyDelete
  86. Olá Constança!
    Gostava muito que o livrinho viesse para Amarante! :)

    Relativamente às lojas de caridade, adorava que em Portugal se tomassem iniciativas dessas. Adoro este tipo de "tralha" :)

    Beijinho,
    Catarina Pinto

    ReplyDelete
  87. Acho estas lojas de uma utilidade fantástica.. lastima que cá em Portugal pouco a deste tipo de iniciativas... Bisuuuuuuu..

    ReplyDelete
  88. Gostava muito que os portugueses tivessem esse espírito, mas infelizmente ainda estamos longe disso.
    Esse livrinho ficava óptimo na minha estante.

    ReplyDelete
  89. oh i adore vintage doll books! this one looks similar to one i used to check-out at the library. loved making cloth dolls! thank you for the giveaway!

    ReplyDelete
  90. Achei muito interessante a descrição das lojas de caridade e com alguma (muita) pena constato que nunca entrei em nenhuma.

    Um bem-haja!

    Patrícia Rosa

    ReplyDelete
  91. Constança,

    Adoro o "Saídos da Concha", visito-o diáriamente, e é sempre um prazer poder apreciar as publicações.Já dei o endereço a várias amigas que passaram também a ser fãs. Devia ser possível viver assim, mais no ritmo da natureza, sem a correria que as nossas profissões nos estão a exigir.Sou educadora de infância e tento levar as minhas crianças a apreciar a beleza do sol, da relva, das cores. Quanto ao livro, achei muita graça, pois é do ano do meu nascimento, 1959.
    Vou continuar por aqui, atenta às suas publicações.

    ReplyDelete
  92. Olá Concha

    Só mais um pequeno promenor sobre as lojas de caridade, e que eu acho a ideia fantastica, é que se por exemplo, tens horas comunitarias, que o tribunal te atribuiu, uma das hipoteses e ires trabalhar para uma loja de caridade.

    Assim estas a ser util á comunidade, acho fantastico.

    Beijocas

    ReplyDelete
  93. A minha mãe petence àquele grupo de pessoas que só compra tralha nestas lojas! Eu adoro encontrar estes livros antigos... Este tem uma capa lindíssima :)

    ReplyDelete
  94. We don't have a lot of charity shop here in Quebec (Canada) but we have "Ventes de garage" all summer where people sell their old things in front of their house... we can find good stuff sometime!
    I love your blog!

    ReplyDelete
  95. Great idea. Nothing like this over here, I just pack things in boxes and take them to a church. But I would love to have something like it close by.

    ReplyDelete
  96. Quisera escrever en portugues, porque sou brasilera, mas residente na España ha muitos anos. E ja nen sei! Por iso adoro ler o seu blog.E sou do ano 59, como ese livro!
    Um beijo e disculpe "os erros do meu portugues ruim".
    Helena

    ReplyDelete
  97. Olá Constança,
    Adoro o blog, as fotos, os seus trabalhos, o seu gosto por plantas e costura.
    É de louvar a abertura dessas lojas, pode ser que a moda pegue aqui em Portugal, ainda mais nesta altura de crise.
    Adoro livros, era uma sorte se fosse eu a contemplada...

    Beijinho

    ReplyDelete
  98. I love charity shops! Every week I pay them a visit and even though more often than not I don't find anything, ocassionally I find a lovely book or a film for my kids or vinyl records for my mum... What a great post! x Pati

    ReplyDelete
  99. Beautiful book... let's try!

    Good work!

    ReplyDelete
  100. Greetings from southern Canada, not far from Niagara Falls! I too love charity shops (or benevolent society outlets as they're often called here) ... have found such fantastic stuff at them. And, yes, it's where I take my kids' outgrown clothing and odds & ends no longer in use at home. That said, we lived in the UK for 6 years, and the shops were much better there!

    Thanks for your blog!

    Cheers,
    Sarah

    ReplyDelete
  101. Greetings from southern Canada, not far from Niagara Falls! I too love charity shops (or benevolent society outlets as they're often called here) ... have found such fantastic stuff at them. And, yes, it's where I take my kids' outgrown clothing and odds & ends no longer in use at home. That said, we lived in the UK for 6 years, and the shops were much better there!

    Thanks for your blog!

    Cheers,
    Sarah

    ReplyDelete
  102. 1959 - the year of my birth !
    I live in France, but come from Scotland and spend many an hour in the charity shops of Glasgow whenever I go back.
    Thanks for your inspiring blog.
    Grace

    ReplyDelete
  103. Que lindo o livro! Eu quero!! Beijos concha!

    ReplyDelete
  104. Adoro este tipo de lojas! E que falta fazem no nosso país! Ontem por acaso descobri uma loja deste género na minha cidade, recém aberta...ainda tem poucos artigos, mas perdi-me pela meia dúzia de livros antiquíssimos que estavam à disposição...um modelo a seguir, seguramente!

    ReplyDelete
  105. "The simple life" é uma inspiração. O "do yourself" é uma paixão. Parabéns!

    ReplyDelete
  106. Estas lojas são uma maravilha! Também sou fã dos mercadilhos de segunda mão, uma maneira super divertida de passar uma parte da manhã.

    Muito obrigada pela oportunidade de ganhar este livro com tão boa pinta.

    ReplyDelete
  107. Obrigada pela generosidade da partilha de informaçao do blog.
    Adoraria ter o livro...

    ReplyDelete
  108. Um post maravilhoso como sempre :O)
    E o livro deve ser delicioso!

    Um beijinho
    Pearl

    ReplyDelete
  109. Claro que em Portugal há iniciativas assim! Se não há mais lojas é porque o português não gosta de usar coisas em 2ª mãos.
    Eu tenho roupa e móveis comprados ( em 2ª mão) em instituições filatrópicas e já o faço há mais de vinte anos. Hoje em dia já há mais, claro. Até para ajudar os animais há!

    Cara Concha,
    enquantas lojas destas entrou em Portugal?

    ReplyDelete
  110. Ih! Quero participar do sorteio, mas i'm overseas... tem problema?
    Amo seu blog!
    Bjos!

    ReplyDelete
  111. é pena n haver lojas destas por cá... e com tesouros desses! :)
    Beijocas
    Cláudia

    ReplyDelete
  112. Gosto da idéia do velho virando novo nas mãos de alguém.
    sou Brasileira e seguidora do blog.

    bjs


    Marlene

    ReplyDelete
  113. What a gorgeous book. Gosh I've not visited for ages. I'm here with a cup of coffee catching up. I love the seed packet pics :O) Michelle x

    ReplyDelete
  114. Era uma visitante assídua de algumas das muitas charities espalhadas por londres! A minha pérola preferida foi ter comprado um vhs do notting hill quando estava a morar em...notting hill! :)
    saudades, muitas saudades de Inglaterra!

    ReplyDelete
  115. ola a todos estou planeando criar uma loja assim cá na ilha da madeira, a aceitação é o menos, a realidade é que podemos fazer a diferença.
    por isso estou usando o pouco dinheiro que tenho para abrir uma sex shop e smart shop que irá criar rendimento sustentável para mim e para minha comunidade
    temos que olhar mais para o meio em que vivemos, mais consciência e muita força por aqueles que não podem ou estão com precisando.
    temos que partilhar mais.

    ReplyDelete

Thanks for your comment; do come again soon!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...