12 January 2015

Por Aqui :: Around Here












Por aqui é Verão. Nuns dias está sol, noutros chove, mas está quase sempre quente e húmido. O Rodrigo esteve de férias e fartou-se de brincar, ver livros, ouvir música, cozinhar, cantar e rir. O Pedro continua a crescer bem, sempre com bom feitio. O nosso jardim está ao rubro e temos comido aquilo que não interessa aos pássaros e aos caracóis (ultimamente framboesas, alfaces e ervas aromáticas).

Gosto muito de ir fotografando alguns momentos do nosso dia-a-dia para depois compor estes posts (que depois suplemento com fotografias do Tiago) mas acho que, de vez em quando, tenho de fazer lembrar que estas imagens só mostram parte da realidade. Não vos mostro a desarrumação crónica, as camas por fazer, as birras do Rodrigo, o nosso cansaço, a confusão instalada na minha cabeça. Aquele almoço com o Rodrigo no jardim, por exemplo, foi sol de pouca dura: ele estava a portar-se tão mal que, passados dois minutos, viemos para dentro de casa. Isso não significa que a fotografia seja falsa — aquele momento aconteceu, sim, mas não durou muito tempo.

Porque é que estou a escrever algo tão óbvio? É que, por vezes, há quem não perceba que o meu blog é uma colecção de momentos felizes, que quero guardar para sempre na minha memória e que gosto de partilhar com as pessoas que me acompanham. É uma partilha virtual, é certo, mas não deixa de ser importante para mim. Se vivêssemos em Lisboa, será que mostraria tantas fotografias dos nossos filhos? Acho que não. Mas moramos longíssimo e custa-me não poder partilhar com outras pessoas a infância dos meus filhos.

Também me perguntam como conseguimos fazer tanta coisa com duas crianças pequenas e quase sem ajuda. A resposta é simples: demoramos imenso tempo a fazer o que quer que seja. O corredor de nossa casa foi pintado em quatro fases, que se prolongaram durante ano e meio, e eu ando há cinco meses para escrever um post sobre o assunto. Se eu gostava de voltar a escrever quatro ou cinco vezes por semana no blog? Claro que sim, mas nesta altura é-me impossível porque simplesmente não tenho tempo.

Tenho muitos planos para 2015, sendo que o mais importante — depois do bem-estar da minha família, claro — é contribuir mais para o orçamento familiar. Tenho algumas ideias que espero conseguir pôr em prática, mas adoraria ouvir as vossas sugestões. Que produtos gostariam que eu lançasse? Se tiverem um bocadinho livre, escrevam as vossas sugestões nos comentários ou, melhor ainda, enviem-mas por email. Muito obrigada!


It's summer around here. Some days it rains, other times the sun shines, but it's almost always hot and humid. Rodrigo's school was closed for a few weeks and he enjoyed himself at home: he played, read books, listened to music, cooked, sang and laughed a lot. Pedro keeps on growing and he's such a happy chap, always in a good mood. Our garden is thriving and we've been eating the things birds and snails don't seem to enjoy too much (lately it's been raspberries, lettuces and herbs).

In order to compose these "around here" posts, I like taking pictures of certain moments in our everyday life and then I supplement them with photos taken by Tiago. However, I feel that, from time to time, I must  remind you that these images are just a part of our reality. I don't show you the constant state of untidiness, the unmade beds, Rodrigo's tantrums, our tiredness or the mess that lives inside my head. For instance, that lunch in the garden with Rodrigo only lasted for two minutes: he was behaving so badly that we quickly came back inside. That doesn't mean that the image is a lie — that moment did happen but it was extremely short-lived.

Why am I stating the obvious? Well, sometimes people don't seem to understand that my blog is a collection of happy moments, moments I want to keep in my memory and moments that I enjoy sharing with others. It's a virtual kind of sharing, for sure, but it's sharing nonetheless. Would I post so many pictures of my children if we lived in Lisbon? I don't think so. But we live incredibly far away from home and I find it hard not being able to share the boys' childhood with anyone.

I'm also asked often how we manage to do so much with two kids and very little help. The answer is simple: it takes us an awfully long time to make anything. Our corridor was painted in four stages over a year and a half and I've been wanting to blog about it for five months now. Would I like to go back to blogging four or five times a week? I would, actually, but right know that's impossible because I simply don't have the time.

I've got lots of things planned for 2015 and the most important one — besides taking care of my family — is to contribute more to the family's finances. I've got a few ideas that I'd love to execute but I'd really like to hear your thoughts on this. What would you like me to offer? If you have a minute, write up some suggestions in the comment section below or, even better, shoot me an email. Thank you very much!

(photos: © Constança Cabral)

20 comments:

  1. Percebo tão bem o que quer dizer quando refere que o blog representa os momentos felizes. Suponho que seja normal apenas quereremos eternizar o que nos fez feliz, quem gosta de repensar continuamente nas infelicidades da sua vida, no mínimo, será masoquista. Parabéns Concha, o blog é lindo e não imagina como me tranquiliza vir aqui. E sobretudo parabéns por essa força que a faz estar longe de muitos, de quem certamente sente a falta
    , e ainda assim conseguir "construir" uma família feliz.

    ReplyDelete
  2. Fotos lindas! E é tão importante eternizar os momentos felizes... :)

    ReplyDelete
  3. Olá Constança, sempre visitei este blog com essa consciência: os momentos são reais e significativos mas sem invadir a vossa privacidade ou exibir toda a vida privada. Ninguém tem vidas perfeitas com casas sempre perfeitas e arrumadas, ninguém tem tudo o que gostaria mas é óptimo sabermos partilhar o que acontece de bom e sermos gratos por isso em vez de nos focarmos em tudo o que podia melhorar ou ser diferente. Sempre encarei o meu próprio blog dessa forma porque a autocomiseração e o queixume nunca fizeram o mundo avançar! Beijinhos e obrigada pelo tanto de bom e positivo que vais partilhando connosco! (Se tiver alguma boa ideia fica prometido que a venho partilhar!)

    ReplyDelete
  4. Olá Constança! Não vou mentir, só sigo o teu blog há cerca de um ano mas agora é leitura obrigatória. Não é o único que sigo mas sim aquele que sigo com mais afinco. Nunca me iludi sobre essa questão dos momentos felizes e honestamente, se assim não fosse, acho que teria desistido de te seguir... Foi precisamente quando decidi que ia procurar um caminho mais feliz para mim que procurei ficar próxima de coisas felizes. Não vou dizer que isso mudou a minha vida mas certamente fez-me ver as coisas de uma perspectiva bem mais sensata. Não ajuda nada manter-me perto de quem nos faz mal ou daquilo que nos suga a felicidade. Hoje sou uma pessoa mais esclarecida por conhecer o teu percurso e ver que a vida é, como dizes no teu livro, uma questão de escolha. Não podemos escolher tudo, mas no que pudermos o lema deve ser: ser feliz. Tenho uma ideia para ti, que cai um pouco na experiência excelente que tenho tido com o teu livro! Senti-me tão bem por conseguir concretizar com sucesso alguns projectos! Porque não inicias uma pequena linha de moldes? Não sei se esta é a palavra correcta... Patterns? De quilts por exemplo ou outras peças que aches que tenham potencial. Penso que seria um desafio! Se os venderes em formato PDF podem bem facilitar os envios de correio, por exemplo? Eu sei que há uma magia associada à caixa do correio... Para quem envia e para quem recebe! Mas podemos abrir algumas excepções ;) por falar nisso posso enviar umas fotos das minhas experiências com o teu livro? Espero ter ajudado!! Beijinhos!

    ReplyDelete
  5. Penso que todos nós não estamos interessadas em ver os momentos menos felizes do vosso dia a dia, por aqui também os há. Sabemos que a vida é feita de muitas alegrias e poucos momentos felizes ou vice versa. A simplicidade com que leva os seus dias é o que me traz aqui, aliada a outras concepções que temos na nossa vida. Olhando para pequenos exemplos seus, posso alterar ou até melhorá-los. A Constança é inspiradora, porque é tão nova e já viveu imensas experiências e é isso que se procura quando elegemos um blog para seguir. Pouco importa se este ou aquele usa um casaco xpto, importa ver que pudemos dar a nossa marca a artigos que já passaram por tantas mãos, importa ver que uso podemos dar com tanto à nossa volta, seja uma cadeira velha que pode ser reaproveitada e até contribuir para que o nosso dia a dia ganhe outra dimensão. Muitas vezes, isto basta. E sermos gratos pelo que temos, quando tudo podia ser pior. E também conversar consigo através das partilhas do vosso dia a dia, ajuda a colmatar a distância que a separa do seu país. Quando diz que gostaria de contribuir mais para o orçamento familiar eu digo que já o faz, tomando conta desses dois pequerruchos e reutilizando e dando outras utilidades a coisas que mais ninguém quer e isso é precioso, não tanto pelo valor monetário em sim, mas por incutir aos seus filhos o principio da utilização e não desperdício. Imagine que saía de casa para trabalhar e que tinha de pagar a alguém para fazer o que faz tão bem (ninguém o faria melhor que nós) atribua-lhe um valor e veja o que contribui para o orçamento. Eu gostaria de ver moldes para download a pagar, claro !! Um beijinho para todos :)

    ReplyDelete
  6. Olá,
    fiquei muito curiosa quanto aos verdes. O pé redondinho também é alface? Imagino que o "rendilhado" também seja.

    ReplyDelete
  7. Um dos posts mais francos e honestos que li!

    Os meus parabéns!

    Quem te segue há tempo suficiente sabe qual é a essência do teu blog e por isso mesmo voltamos sempre!

    ReplyDelete
  8. Constança, o que gosto na sabedoria popular é o facto de ter sempre uma espécie de máxima que se aplica a várias realidades. Para o que descreves, deixo um ditado bem conhecido: "Vozes de burro não chegam ao céu!" O teu blog espelha o que queres que espelhe. É teu! e as visitas assíduas, comprovam satisfação!!! Não mudes!
    Uma coisa sei: se te lesse sempre neurótica, a mostrar a desarrumação eterna de uma casa, a lamentares-te de algo que, às tantas, só seria significativo para ti, eu não te leria!!!
    Todos temos as nossas neuroses, os nossos lamentos, mas no fundo todos fazemos, de uma forma ou de outra, o que tu fazes, nem que seja num simples cumprimento matinal: "Bom dia! Tudo bem!" Muito bom dia! Bem, obrigado como está?"
    Não é assim tão diferente, pois não?

    PS - comprometo-me a pensar com carinho numa proposta que enviarei para o email. Beijo!

    Sandra Serra

    ReplyDelete
  9. Criatividade, harmonia, felicidade é o que encontro aqui e é precisamente o que mais encanta.
    Muitas felicidades e que nunca te falte vontade de partilhar esses momentos.
    xx

    ReplyDelete

  10. Olá Constança, obrigada pela sua generosidade e genuína maneira de viver o dia a dia, é uma inspiração que ajuda a pôr os pés na terra :)

    Talvez a Constança também tenha recebido esta informação, mas depois de ler o seu propósito de querer ajudar ainda mais ao orçamento familiar pensei que faria sentido comentá-lo, é o link para "Join #EtsyResolution and Love What You Do in 2015_ Australia", talvez lhe seja útil:

    https://blog.etsy.com/au/2014/12/19/join-etsyresolution-and-love-what-you-do-in-2015/

    Muito obrigada de novo pela maneira como mostra que há tanta beleza ao alcance de cada um de nós.

    Maria

    ReplyDelete
  11. Constança és uma vencedora por dar conta dos pequenos e ter tempo para nos contar as festas que eles fazem em tua vida , sei o que é ter família longe tenho dois sobrinhos lindos são filhos da minha única irmã que mora em Sesimbra Portugal , ela mora lá há 13 anos e só so conheço a minha sobrinha de 8 anos o pequeno de 2 aó por internet , quero te parabenizar e dizer que amo seu blog e tudo o que vc faz bjinhos de todo o meu coração . Olha os meninos estão lindos e como crescem kkkkk bjs. fiquem com Deus! Sua amiga brasileira Adriana Milagres.

    ReplyDelete
  12. Compreendo completamente o facto de um post ser mais representativo de momentos felizes! Um dos grandes objectivos de bloggar e perpetuar a felicidade que sentimos! Curiosamente a pouco tempo escrevi um post que desvendava um pouco o que por vezes não é tão perfeito nas nossas vidas, mas não como lamenmtação, apenas para mostrar uma dose de realidade, que tambem é necessária... E que esta realidade não deixa de ser menos feliz... :)

    ReplyDelete
  13. Olá Concha! Eu acho a ideia dos kits de costura já preparados fenomenal porque muita gente quer começar ou apenas ter um passatempo mas n tem jeito ou tempo ou conhecimento para preparar o que é necessário. O meu quilt continua empacotado, acabei por ter um outono mais agitado do que esperava mas quero muito fazê-lo. Que tal lançar mais projectos do género??

    Beijinho!

    ReplyDelete
  14. Ficamos felizes com os seus momentos risonhos. Lembre para sempre o que a faz sorrir e registe porque há pormenores que se perdem inevitavelmente no acumulado das vivências.

    ReplyDelete
  15. Olá, Constança! Sigo o seu blogue assiduamente há uns três anos e inspirou-me sempre muito. Aquilo que decide partilhar é aquilo que faz deste blogue aquilo que ele é, e é deste blogue que gostamos. Em relação ao orçamento familiar, pensei em workshops; mas uma vez que está longe, pode optar por vídeos. Mesmo que não tenha uma distribuidora oficial, encontrará de certeza uma solução online, há imensos sites onde poderá colocar vídeos caseiros e cobrar um valor à sua escolha por visualização/download. Somos muitas, vídeo a vídeo (mais os modelos que outras leitoras sugeriram) podiam fazer muita diferença. Boa sorte! Que tudo continue a correr bem.

    ReplyDelete
  16. Acho a ideia dos vídeos que a Grão de Milho sugere uma ideia óptima! Conheço várias bloggers que têm algo do género. Basta comprar o pacote e poderíamos ter acesso aos vídeos ;)

    ReplyDelete
  17. É tão engraçado, curioso e tocante quando lemos algo que nos é tão próximo. À semelhança da Constança tb vivo longe da família e amigos e tenho um filhote de 13 meses (daqueles recheados de tanta energia que usam a nossa como combustível)e sei o quão frustrante é querer dar mais de nós para o orçamento familiar, escrever mais no blogue, fotografar, ditar, cozinhar, brincar e arrumar...e o tempo não estica e a energia ás vezes falha.
    Dá um alento bom saber que não sou única nesta epopeia de ter filhos longe dos nossos e querer continuar a amealhar.
    Constança, a ideia d um canal no youtube com vídeos é excelente..eu ando aí há uns 2 meses a cozinhar a ideia e falta um pouco de coragem para me agarrar a um editor e encarar a lente. Pode ser que a Constança me dê um empurrão .-)
    U, abraço e td de bom para a sua família.

    ReplyDelete
  18. Alguns (mesmo que eu duvide) podem nao te entender, mas toda mae te entende.
    Que tal projetos para fazer junto com as criancas? Tdas precisamos de ideias...

    ReplyDelete
  19. Adorei este post! E eu adoro saber estes pequenos detalhes felizes da tua vida, mesmo que por vezes pareçam mais alegres do que realmente são, mas isso também faz parte (uma das fotos preferidas tirada na minha infância foi um dia de uma birra gigantesca, em último caso é sempre uma história a contar e acarinhar no futuro).
    Assim de repente, uma ideia para um contributo maior no orçamento familiar... ocorre-me um e-course em styling e decoração, por exemplo. ;)
    Força nos próximos passos.

    ReplyDelete

Thanks for your comment; do come again soon!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...