14 November 2014

Por Aqui :: Around Here













Por aqui aproveitamos os dias em que não chove para ir apanhar ar. Eu apanho muitas flores e espalho-as pela casa. Vou cosendo aos bocadinhos. Olho para o Pedro, cada vez mais crescido, e fico com tanta pena de não poder partilhá-lo com a família e com os amigos. Maravilho-me com o Rodrigo (e tento respirar fundo quando ele faz birras). Tento executar as dezenas de ideias que tenho cá para casa. Arrumo os tecidos e ponho à venda todos aqueles que não me vejo a usar nos próximos tempos. Conheço gente nova e fazemos planos para umas noites de costura. Sinto-me cheia de sorte. Tenho saudades. Faço contas. Planeio novas aventuras. Apercebo-me de que falta pouco tempo para Dezembro, mas aqui não cheira a Natal. Fico toda contente quando vocês me escrevem a dizer que o meu livro vos inspirou a lançar mãos à obra. Tenho saudades. Tenho saudades. A vida aqui é boa. Mas tenho tantas saudades.

Around here we make the most of the days when it doesn't rain. I pick lots of flowers and spread them around the house. I sew a little at a time. I look at Pedro and feel sad that I can't share him with friends and family. I marvel at Rodrigo (and take deep breaths whenever he throws yet another tantrum). I try to execute some of the dozens of ideas that I keep having for our space. I tidy up the fabric stash and sell everything that doesn't resonate with me any more. I meet new people and we make plans for a few sewing evenings. I feel so lucky. I long for home. I crunch some numbers. I plan new ventures. I realise December is coming soon but I don't feel the thrill of Christmas. I get so happy whenever you write to me to say that my book has inspired you. I miss so many things. Life around here is good. But I long for so much.

(photos© Constança Cabral)

23 comments:

  1. Por aí a vida é muito bonita e cresce luminosa! Parabéns pelo sorriso dos teus filhos e pelo caminho que tens percorrido com energia e com saudade. Dizem que a saudade é um amor à distância e amor é sempre um sentimento bom. Por isso, quando dói, pensa que é uma dor boa! Um abraço!

    ReplyDelete
  2. Imagino o quão difícil é não estar para partilhar o Rodrigo e o Pedro. Às vezes temos tendência para nos lembrarmos mais depressa de que os amigos devem estar nas piores alturas e esquecemos de quão importantes são para partilharmos as nossas alegrias.
    Ainda não tinha tido oportunidade de dizer mas adorei o livro. Vivo há cerca de um ano na minha casa e obviamente vou tendo as coisas aos poucos. Estava na dúvida entre mandar fazer almofadas para a sala ou fazê-las eu… (o medo que não corra bem…) mas acho que vou arriscar!!

    ReplyDelete
  3. Adorei o erlenmeyer e os arranjos de flores, como sempre! (foram os arranjos de flores que me fizeram começar a seguir o blog, há já algum tempo!).
    Partilho o mesmo sentimento em relação a criar filhos longe da família e amigos. É das coisas que mais me custa por estar fora de Portugal. Tento sempre pensar na parte boa (principalmente mais disponibilidade) que lhes posso dar.

    ReplyDelete
  4. Olá Constança!
    Foi a Constança que fez o candeeiro de fios?
    Por aqui (PT) também não cheira a Natal (pelo menos a mim)! Faltam os irmãos, os cunhados e os sobrinhos que também andam pelo mundo... as saudades são enormes, os reeencontros maravilhosos!... o pior de tudo são as despedidas. :s

    LP

    ReplyDelete
  5. A paisagem é bonita, mas calculo que muitas vezes olha para ela e diz: eu nao pertenco aqui...

    ReplyDelete
  6. Pois Concha! Compreendo esse querer estar/não estar aqui (aí)!O Rodrigo e o Pedro são lindos!! Na primeira foto a colcha foi deita de camisas? :D beijinhos para todos (já tenho o livro cá em casa)

    ReplyDelete
  7. Pois Concha! Compreendo esse querer estar/não estar aqui (aí)!O Rodrigo e o Pedro são lindos!! Na primeira foto a colcha foi deita de camisas? :D beijinhos para todos (já tenho o livro cá em casa)

    ReplyDelete
  8. Olá Constança!
    Meus sentimentos são iguais aos seus! Também amo viver cá,mas a saudade doi!!! São as escolhas!
    Sempre um deleite para os olhos e alegria para a alma passar por aqui,seus filhos são encantadores,beijinhos

    ReplyDelete
  9. Constança , onde podemos comprar os tecidos que aparecem na foto?

    ReplyDelete
  10. Fotos lindas, inspiradoras como sempre :-) A saudade dói, mas é um bom sentimento. É amor. Cá te esperamos para sessões de costura, e em último caso vamos todas aí. Bj <3
    Carla

    ReplyDelete
  11. A separação dói para quem parte e para quem fica. Tenho um filho longe e dói muito.

    As fotos lindas como sempre.
    Os seus filhos uns amores de crianças.

    O livro está excelente e já cá "canta".

    ReplyDelete
  12. Que maravillosas fotos Concha. Muito bonito, parabéns per las dos crianças.

    ReplyDelete
  13. Nossa! Como cresceste! Que bela pessoa vens te tornando com todo o aprendizado que amealhaste ao longo de teu caminho!
    Parabéns Constança! Saudade faz parte do crescimento. És uma abençoada pela bonita família, pelas flores que sempre estão contigo...
    Carinho de todas nós que te seguimos há muito
    S.O.
    Rio

    ReplyDelete
  14. I asked for your book for Christmas and can't wait to get it!

    ReplyDelete
  15. Constança... Não imagino o que seja viver fora com filhos... Quando o fiz era solteira e sei o que as saudades doíam... Obrigada pelas tuas fotografias sempre tão lindas e dreamy! Da nossa parte, aqui deste lado, vemos a tua vida como uma vida de sonho (mesmo sabendo bem lá no fundo que não há vidas de sonho). Obrigada por a partilhares um bocadinho connosco.

    ReplyDelete
  16. Your post sounds somewhat wistful Constanca. And you sound very busy. Christmas in the southern hemisphere is VERY different - isn't it? Somtimes I long for the opportunity to experience Christmas in the cold, where I can rugg up in knitted things, and actually ENJOY a baked dinner because the temeratures are so low. But then, I love the long summer break too...
    I have to ask you, where is that beautiful valley you have taken a picture of that is in this post? It makes my breath leave in a rush just looking at it!!!
    Sheree

    ReplyDelete
  17. São as saudades que nos fazem criar objetivos, para rever locais, estar com pessoas, repetir comidas... mas que custam, custam... Muita força, Concha.

    ReplyDelete
  18. I love reading you blog - seeing how you spend your days - and the beautiful photos of your home and boys - thank you so much; if your book was written in English, I would certainly have a copy !

    ReplyDelete
  19. I'm still marveling over the beautiful fabrics from fabric a brac. I think I managed to leave with less than I arrived with.

    The previews of the book look wonderful. Is there any chance of a translation into English?

    ReplyDelete
  20. Estava a ver as fotos deste post e à medida que as via pensava:...deve ser demais viver noutro sítio, olha o outro lado do mundo, é bonito!! e pensava, acho que não conseguia aguentar as saudades, tão longe...e até tive um apertozito no coração, eu que nunca vivi longe da família, e depois li que tens saudades, mas a vida é mesmo assim, e viver noutros sítios, apesar da saudade, deve ser muito enriquecedor.
    dora

    ReplyDelete
  21. Your feelings are very understandable. It just isn't home. It looks like a beautiful place, though! Nothing lasts forever, and I bet your boys (at least Rodrigo) will have fond lifelong memories of their time there.

    ReplyDelete
  22. Constança este post é lindo por tudo o que partilhas. sobretudo as emoções em cada palavra. fiquei arrepiada

    ReplyDelete

Thanks for your comment; do come again soon!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...